Cardiologia de proximidade

Cardiologia de proximidade

Caracterizada pelos tratamentos diferenciados, pela elevada especialização do seu corpo clínico e pela política de proximidade, a UCARDIO é também o espaço onde a Cardiologia é interpretada em sintonia com um amplo leque de especialidades médicas, na tentativa de proporcionar o melhor tratamento a cada utente.

Sediada em Riachos (Torres Novas), a UCARDIO é a concretização de um projeto pessoal assumido em nome do especial carinho que Jorge Humberto Guardado nutria, quer pela área da Cardiologia quer pela sua terra natal. Corria precisamente o ano 2001 quando o então interno no Hospital Garcia de Orta conciliava os seus dias em Almada com os fins de se-mana passados num consultório nesta freguesia de Torres Novas, a proporcionar acompanhamento médico, primeiro a familiares e amigos e, já posteriormente, a um volume cada vez maior de utentes. Na lógica desse mesmo serviço esteve uma filosofia de proximidade que, volvidos dezasseis anos, se mantém inalterada, garantindo a cada utente o fácil acesso a uma resposta para os seus problemas.

À medida que o projeto foi crescendo, de igual modo se assumiu o imperativo de apostar em novos equipamentos, recursos humanos e condições logísticas, numa espiral ascendente que justificou, há precisamente dez anos, a necessidade de reformular um novo conceito, “baseado numa clínica de maior amplitude”. Na concretização desse mesmo desígnio, surge a UCARDIO – abreviatura de Unidade Cardiovascular – que, mediante uma filosofia e percurso muito próprios, se sagrou, enquanto um espaço privado de referência, não apenas num contexto regional, como também à escala nacional.

Um serviço integrado

Pese embora a oferta de um serviço de “Cardiologia amplamente diferenciada e capaz” corresponda à “pedra angular” por detrás de toda a atividade exercida na clínica, desde cedo que Jorge Humberto Guardado se apercebeu da importância de proporcionar à sua rede de utentes um conjunto de outras especialidades médicas e exames complementares de diagnóstico que, pela sua natureza e objeto de intervenção, se cruzassem de algum mo-do com o diagnóstico e tratamento das patologias do coração ou do sistema cardiovascular. De facto, e tal como esclarece o porta-voz, “grande parte das pessoas que sofre destes problemas tem também outras patologias associadas”, pelo que “o seu diagnóstico e tratamento deve ser feito em conjunto”.

Não constituirá, posto isto, surpresa que a UCARDIO proporcione consultas, diagnóstico e tratamentos em áreas como a Pneumologia, a Neurologia ou a Cirurgia Vascular. Assente, de resto, na importância do exercício de uma “Medicina integrada”, existem naturais pontes estabelecidas entre a Cardiologia e outras especialidades e áreas complementares da Medicina e de Bem-Estar como, por exemplo, a Medicina Geral e Familiar, a Medicina Interna, a Psiquiatria ou a Psicologia Clínica e a Nutrição Clínica. Verifica–se, por outras palavras, a existência de um corpo clínico heterogéneo e predisposto para atender “a tudo o que o doente necessita quando nos apresenta uma queixa cardiovascular”, sintetiza Jorge Humberto Guardado. Igualmente essencial para o sucesso de qualquer intervenção médica é, todavia, a existência de elos de interação e troca de conhecimento entre os diferentes especialistas médicos, assim como com os Cardiopneumologistas que, coordenados por Jorge Marques, garantem a acuidade e qualidade técnica na execução dos exames de diagnóstico aqui realizados.

“Não entendo a Medicina como uma realidade em que os profissionais estejam isolados uns dos outros; é obrigatório que haja uma cultura de partilha e de comunicação”, argumenta o nosso interlocutor, de forma a evitar a existência de “conflitos entre os tratamentos e prioridades dos cuidados médicos”. A sinergia apresenta-se, por outro lado, como um método de trabalho mais útil e eficaz para o utente, na medida em que contraria “a fragmentação dos doentes”, aquilo que o responsável da UCARDIO interpreta como sendo “um dos grandes problemas da Medicina atual”.

Cardiologia diferenciada

Enquanto clínica que funciona exclusivamente em regime de ambulatório, a UCARDIO fez “tudo o que era possível para estender ao máximo aquilo que é a possibilidade, de acordo com o enquadramento legal, dos seus tratamentos”. Assim sendo, e para além de um corpo clínico especialmente capa-citado, experiente e sensível ao bem–estar do utente, este é um espaço que proporciona um amplo conjunto de técnicas no âmbito da Cardiologia. A título exemplificativo, poderemos elencar o Eletrocardiograma, o Holter, o Registo de Eventos Cardíacos, a Pressurometria (MAPA), a Ecocardiografia e a Prova de Esforço – naquilo que Jorge Humberto Guardado descreve como “a panóplia normal de uma boa clínica da especialidade”.

Importa, no entanto, que se ressalve o modo como a unidade de saúde sempre procurou apostar no continuado investimento tecnológico e humano, à procura de uma diferenciação que garantisse as melhores hipóteses de sucesso ao seu paciente. É nesse âmbito que a UCARDIO se pode orgulhar de proporcionar uma tecnologia normalmente disponível apenas em contexto hospitalar e cujos méritos são já bem reconhecidos entre a comunidade médica: a Ecocardiografia de Sobrecarga, em nome da qual é exigido um importante investimento material e humano.

Consistindo num “método fisiológico e recomendado pela Sociedade Europeia de Cardiologia”, trata-se de um exame especificamente focado na avaliação da doença coronária mas que também tem a vantagem de simultâneamente poder ser utilizado para identificar e estratificar patologias como a doença valvular, a miocardiopatia hipertrófica, a hipertensão pulmonar ou a existência de gradientes intraventriculares, uma entidade sub-diagnosticada e que motiva muitas vezes queixas e/ou alterações na prova de esforço clássica (só com ECG) em adolescentes e jovens adultos desportistas. Consistindo numa técnica que permite analisar o paciente enquanto este exerce um esforço físico análogo ao da sua vida diária, a Ecocardiografia de Sobrecarga em Esforço caracteriza-se pela elevada sensibilidade e especificidade no diagnóstico, por comparação a uma simples prova de esforço.

Mas outro dos importantes argumentos a favor desta tipologia de exame não-invasiva reside no facto de corresponder a uma tecnologia que não liberta qualquer tipo de radiação (teste “verde”, amigo do doente e do ambiente) contrariamente ao que se verifica com outras opções de análise, como é o caso da cintigrafia de perfusão do miocárdio, esmagadoramente utilizada no nosso país. “É muito mais simples e melhor para o doente se utilizarmos métodos que não façam mal às pessoas”, constata o influente cardiologista Carlos Cotrim, que foi pioneiro na utilização da Ecocardiografia de Sobrecarga em Portugal e na Europa, e cujo contributo profissional se afigura como uma incalculável mais valia para a UCARDIO.

Importa, por fim, referir que a Clínica se encontra também capacitada para a realização de Ecocardiografias de Sobrecarga Farmacológicas, na sequência de um licenciamento emitido pelo Infarmed para a aquisição dos necessários fármacos (bastante associados ao seu uso hospitalar). Esta consiste, pela sua natureza, numa opção mediante a qual se estimula o coração do utente por via farmacológica (também sem haver nenhum produto radiativo a ser administrado) sendo utilizada em contextos onde não seja possível a realização de testes de esforço.

Qualidade e futuro

A excelência dos serviços proporcionados na UCARDIO explica-se não apenas pela grande aposta que Jorge Humberto Guardado assumiu na tentativa de constituir uma equipa médica e técnica que conciliasse um currículo diferenciador e altamente especializado com uma filosofia e partilha de valores comuns. Fazendo jus a todos estes elementos, esta corresponde a uma das poucas Clínicas em regime de ambulatório distinguidas com a certificação ISO 9001 (Sistemas de Gestão de Qualidade), tendo sido, inclusivamente, a primeira no distrito de Santarém a obter esta mesma insígnia em 2012.

Recordando a especial exigência e esforço que foram necessários para o alcance deste mesmo estatuto, o nosso interlocutor faz questão de partilhar o seu agradecimento para com a persistência de Ana Santos, Diretora Geral da UCARDIO e responsável pelo departamento de qualidade. No entanto, e porque é intenção da clínica chegar cada vez mais longe no universo da Cardiologia, Jorge Humberto Guardado revela que entre as etapas a concretizar a curto prazo se incluirá o início da realização de projetos de for-mação e investigação científica, fortificando-se, passo ante passo, o compromisso que este espaço de saúde as-sumiu com o bem-estar da sociedade e com o cada vez maior conhecimento da classe médica nacional.

Fonte: http://perspetivas.pt/wp-content/uploads/2017/11/Ucardio.pdf

Share this post

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *